CAO – Centro de Atividades Ocupacionais

Centro de Atividades Ocupacionais

Em 1984 quando ainda só se falava de autismo infantil como sendo uma grave doença psiquiátrica, iniciamos o nosso trabalho no Centro de Dia de Monte da Virgem o que seria o embrião para o actual CAO.  

Na equipa técnica constava uma pedopsiquiatra, três psicólogos (em tempo parcial), duas educadoras e dois monitores. Durante o período de implementação deste centro tivemos a ajuda preciosa da Dra. Celeste Malpique que com o seu conhecimento pode dar algumas orientações tanto à equipa técnica como aos pais fundadores.

Apesar do protocolo de cooperação para o financiamento de Centro de Dia de Monte da Virgem abranger 10 crianças, a entrada destas foi feita de uma forma gradual o que nos permitiu ter uma qualidade de trabalho excepcional.

Apesar de haver uma grande vertente terapêutica nas nossas intervenções as atividades propostas nesse Centro de Dia já nessa altura iam de encontro com as atividades que existem nos CAOs atuais: tecelagem, pintura, digitinta, ginástica (parceria com a Escola Preparatória Soares dos Reis), atividades de vida diária, cozinha pedagógica, piscina, música, trabalho de socialização em contexto e colónia de férias, esta colonia de férias funcionava como “respiro” para os pais que não tinham nenhum suporte residencial para os seus filhos, e sabemos como é desgastante estar com eles de uma forma permanente.

Em 1996 com a rectificação dos acordos com a Segurança Social ficou prevista uma nova forma de funcionamento – Centro de Actividades Ocupacionais, para 18 utentes, mantendo a mesma metodologia de trabalho do Centro de Dia. Começamos nós nessa altura a perspectivar um novo funcionamento para esta nova resposta social, que se alicerçava em três grandes pilares, a área da Música, a área de Tecelagem e a área da Olaria, com salas próprias e adaptadas para cada uma das funções.

Em 2001 o Centro de Actividades Ocupacionais mudou de instalações e passou a poder albergar 24 utentes. Depois de algumas tentativas de restruturação concluiu-se que para um funcionamento mais harmonioso do CAO seria melhor implementar 3 grupos base donde os utentes eram distribuídos pelas várias áreas e pelas atividades de exterior

Em 2004, foi criado um novo grupo com o intuito de dar resposta a uma população com características diferenciadas, que se propunha privilegiar a aquisição e a manutenção de competências académicas, o desenvolvimento de competências funcionais e a promoção do bem-estar físico e emocional, tem ainda um maior enfoque na vertente lúdico/cultural.

Com o alargamento do CAO foi-nos possível contar com técnicos de outras formações que vieram incentivar novas áreas de intervenção, como a equitação, o Boccia, caminhadas de longo percurso, montanhismo, ciclismo e corrida.

Com as novas exigências do mercado, o CAO procurou ser mais competitivo e oferecer aos seus utentes um serviço de maior qualidade e de melhoria contínua, como tal, depois de um processo demorado conseguimos em 2011 a Certificação de Qualidade Equass, em vigor durante 2 anos.

Sendo nós o único CAO até a esta data especializado neste tipo de população na zona norte, a procura era imensa, o que nos fez sentir a necessidade de renegociar os acordos existentes com a Segurança Social e alargar mais uma vez o CAO para 30 clientes, capacidade máxima das atuais instalações.

Atualmente as linhas orientadoras da nossa resposta social, são promover a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas com perturbação do Espectro do Autismo, capacitando-as com um melhor nível de funcionalidade e autonomia.

Estes clientes distribuem-se por 5 grupos, tendo um deles características mais diferenciadas (maior funcionalidade sobretudo em questões académicas).

 O horário de funcionamento é de segunda a sexta das 9.00 às 17.00, durante todo o ano com a excepção dos feriados.

Cada cliente usufrui de um leque de atividades de acordo com os objectivos do plano de desenvolvimento individual, respeitando as expectativas e potencialidades de cada um.

 A EQUIPA

•  Gestor Operacional 
•  Psiquiatra da Infância e Adolescência (Diretora Técnica Geral)
•  2 Psicólogos (1 assume o cargo de Diretor Técnico da Resposta Social)
•  1 Técnica Superior de Serviço Social
•  1 Terapeuta Ocupacional
•  1 Terapeuta da Fala
•  1 Professora de Educação Física
•  1 Professor de Música
•  2 Monitores
•  1 Técnico de Olaria
•  1 Técnico de Tecelagem
•  6 Ajudantes de Ação Directa

OBJECTIVOS GLOBAIS

•  O bem-estar físico-emocional
•  Autonomia pessoal
•  Socialização
•  Pedagogia
•  Ocupação

ATIVIDADES REGULARES
Desenvolvimento Pessoal

• Alimentação
• Higiene Pessoal
• Mobilidade e Transporte
• Culinária
• Música
• Olaria
• Tecelagem
• Terapia Ocupacional

 
Bem-estar emocional, físico e social

• Piscina
• FADEUP
• Caminhada, corrida e bicicleta
• Equitação
• Boccia
• Cuidados de saúde
• Bando das Cordas
• Terapia Ocupacional
• Terapia da Fala

Inclusão Social

• Compras
• Idas a café
• Informática
• Saídas de lazer
• Saídas culturais
• Bando das cordas
• Integração em atividades promovidas pela/na comunidade
• Renovação documentação pessoal
• Comunicar Autismo (blog)

 
Família

• Psiquiatria
• Psicologia
• Serviço Social